domingo, 3 de abril de 2011

É hora do recreio!

As crianças correm por todos os lados. É recreio e a energia vibra no ar.
Há alegria, que se evidencia no riso, nos gritinhos.
Há competição no jogo de futebol, quem faz mais gols, dá os melhores dribles ou faz a melhor jogada; no basquete, quem faz mais pontos, dá o melhor salto, consegue enterrar a bola na cesta; na corda, quem pula mais e mais rápido; na corrida, quem chega primeiro e no pega-pega, quem consegue escapar.
Há os grupinhos que trouxeram as bonecas, os carrinhos e agora brincam de ser pais, mães, professoras, taxistas, grandes corredores.
Há ainda os que lutam contra malvados imagiários, que dão golpes de karatê, saltos de Homem Aranha, heróis que usam armas que só eles vêem na defesa da paz e da justiça.
Há as brigas que acabam no abraço, no pedido de desculpas, na volta à hamonia após a intervenção dos professores ou da "dire".
Há a poesia do menino de sete anos que ensina o de seis a amarrar o cordão do tênis, do menino que conta ter girafas e leões no seu zoológico no quintal de sua casa, nas meninas que trocam figurinhas do Dustin, do Luan, que sonham ser grandes estrelas, bailarinas famosas e treinam seus passos alí no piso frio e áspero do pátio da escola ao som da última música da moda.
Há as amizades que se fortalecem, o encanto das descobertas, a solidariedade, o exercício da tolerância e do respeito, a divisão do espaço, a luta pela conquista desse espaço.
Enfim, no recreio se aprende a ser forte, a ser feliz, a defender seus direitos,a conviver em grupo e fazer parte da vida em sociedade.
Por isso tudo o recreio é tão bom!